• Letícia Seneme

Dia Nacional da Farmácia

Hoje, dia 05 de agosto, comemoramos o Dia Nacional da Farmácia. A farmácia é uma ciência responsável por desenvolver e fabricar medicamentos, sendo suas matérias-primas os recursos naturais, como plantas e minerais, e sintéticos.


As atividades farmacêuticas começaram por volta do século X, a partir das chamadas boticas. Nessa época, a farmácia e a medicina andavam juntas e o boticário era responsável por conhecer, diagnosticar e curar doenças.


Durante o reinado de Luís XIV, na França, houve um surto de lepra que alavancou a quantidade de boticas/farmácias hospitalares. Em 1777, Luís XV substituiu o termo “boticário” por farmacêutico. Mais adiante, ainda no século XVIII, a profissão farmacêutica se separou da medicina e se tornou proibido o médico ser também proprietário de uma botica. Em 1813 foi publicado o primeiro tratado de toxicologia, o que serviu como ponto de partida para a farmacologia moderna.


Com o passar do tempo, as boticas se tornaram farmácias, a indústria farmacêutica começou a se desenvolver cada vez mais e a partir dos anos 1950 a população começou a utilizar com mais frequência as farmácias e o conhecimento dos farmacêuticos.


Durante a Primeira Guerra Mundial a farmácia avançou ainda mais com o desenvolvimento da terapia antimicrobiana, que resultou em avanços na quimioterapia, tratamentos com antibióticos e imunoterapia. Com isso, os medicamentos se tornaram aliados do consumo e interessantes à política e à economia.


No Brasil, os boticários atuaram na época da colônia, e o primeiro boticário, Diogo de Castro, fora trazido de Portugal pelos governadores gerais, em razão do difícil acesso a medicamentos, que só ocorria com novas expedições. Em 1961 foi criado o Conselho Federal de Farmácia (CFF), que inscreve os profissionais, registra empresas, fiscaliza as atividade farmacêuticas e zela pelo profissional.


O que poucas pessoas sabem é que há diferença entre farmácia e drogaria. A farmácia manipula, formula e pode vender medicamentos, portanto, necessita de um laboratório para exercer sua função. A drogaria somente comercializa medicamentos já prontos, manipulados, portanto não há necessidade do laboratório.


As especialidades farmacêuticas consistem em diversas linhas de atuação, como: área alimentícia, análise clínico laboratorial, educação, farmácia, farmácia hospitalar e clínica, farmácia industrial, gestão, práticas integrativas e complementares, saúde pública e toxicologia.



- Fonte: https://bvsms.saude.gov.br/05-8-dia-nacional-da-farmacia/