• Letícia Seneme

Tendências para o mercado cosmético pós-pandemia

O cuidado com a nossa beleza e bem-estar tem aumentado significativamente desde o início da pandemia do coronavírus. Além da rotina de limpeza e cuidado com o nosso corpo, o cuidado com a nossa saúde mental também é fundamental.




Com essas mudanças de hábitos, as pessoas têm percebido, cada vez mais, que a utilização de dermocosméticos vai mais além da preocupação com a estética, pois também é um modo de prevenir doenças.


Diante disso, o que será que este mercado reserva para nós?


Uma matéria publicada na A Gazeta – HZ, e veiculada pelo Panorama Farmacêutico, nos mostra a opinião de duas mulheres importantes e presentes nesse setor, Roberta Sant’anna (diretora da L’Oréal Cosmética Ativa) e Viviane Pepe (diretora de comunicação da Avon Brasil), que comentam sobre o que poderá ficar em alta no mercado da beleza e da saúde diante do contexto atual.


Um dos pontos que mais têm sido observados é a visão da saúde de forma holística e como isso interfere na mudança dos hábitos de consumo e na escolha de produtos (com base na experiência de compra e uso). Roberta Sant’anna afirma que sempre nos expomos a fatores internos e externos que refletem na saúde da nossa pele e cabelos.


Em decorrência da pandemia, as pessoas sentem cada vez mais alguns sintomas físicos e mentais devido às mudanças bruscas da rotina, como os hábitos de higiene e o distanciamento social. Por isso a preocupação com o autocuidado e a saúde. Roberta diz que a procura por produtos com multibenefícios tem aumentado cada vez mais e as plataformas digitais irão expandir o acesso à saúde (como as teleconsultas) e ao conhecimento, com os aplicativos de serviços.


Um dos nossos principais projetos para 2022 envolve a tecnologia da telemedicina, que irá acelerar ainda mais a digitalização e o alcance médico da dermatologia no país.

Outra tendência que está em alta é o Clean Beauty ou Conscious Beauty, que consiste na utilização de produtos não prejudiciais à pele, ao cabelo e ao meio ambiente. Portanto, há a preocupação com o impacto biológico, ambiental e social que decorrerá do uso de determinado produto.


A maior parte das nossas matérias-primas é derivada de fontes renováveis, naturais ou de origem natural ou de química verde. Nós nos comprometemos a respeitar a biodiversidade e a preservar os recursos naturais, pois acreditamos que estamos enfrentando desafios sem precedentes e nossas ambições devem estar alinhadas com estes desafios.

Já, de acordo com Viviane Pepe, a empresa vem investindo em estudos comportamentais do consumidor, para adequar seus produtos diante dessa realidade. Pesquisas indicam a ressignificação de temas como autoestima e cuidado por parte dos consumidores.


A diretora ainda explica que o consumo de produtos de beleza é um campo de muitas tendências, mas uma tem se sobressaído: o skinimalismo.


O skinimalismo, que une skincare e minimalismo, é um novo movimento na categoria onde o ‘menos é mais’, com o uso de menos itens, mais funcionais e capazes de substituir aquela rotina cara e complexa a partir de produtos tecnológicos, de alta performance a um bom custo-benefício.

Ou seja, o público tem visado produtos com mais de uma função por conta da praticidade e da preocupação com o impacto gerado por tal consumo.


- Fonte: Gabbia Insights (Edição 32, dezembro de 2021).

Para saber mais acesse o texto na íntegra em: https://bit.ly/3QkLe5m