• Letícia Seneme

Outubro Rosa: mês de prevenção contra o câncer de mama

O mês de outubro é marcado pela campanha do Outubro Rosa, uma ação de caráter internacional sobre a conscientização da prevenção do câncer de mama e o dia oficial contra o câncer de mama é 19/10.



O movimento foi criado no início da década de 90, pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, nos Estados Unidos. Os laços cor-de-rosa, símbolo da campanha, foram distribuídos aos participantes da primeira Corrida pela Cura que aconteceu em Nova York (EUA).


No Brasil, a primeira ação aconteceu em 2002 com a iluminação cor-de-rosa do Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista no parque Ibirapuera em São Paulo. A partir de 2008 essas pequenas iniciativas se tornaram mais frequentes e muitas instituições relacionadas ao câncer passaram a transmitir a mensagem de que a prevenção é necessária. O INCA (Instituto Nacional de Câncer) iniciou sua participação na campanha em 2010 e desde então promove eventos, debates e apresentações sobre o tema.


O câncer, de maneira geral, é uma doença causada pela multiplicação desequilibrada de células anormais que dão origem a um tumor com potencial de invadir tecidos e órgãos. Os diferentes tipos de câncer se relacionam aos tipos de células do corpo.


Quando começam em tecidos epiteliais, como pele ou mucosas, são denominados carcinomas. Se o ponto de partida são os tecidos conjuntivos, como osso, músculo ou cartilagem, são chamados de sarcomas. Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes, conhecida como metástase.

Instituto Nacional de Câncer (INCA)


Existem 7 tipos de câncer de mama (carcinoma, câncer de mama invasivo, câncer de mama triplo negativo, câncer de mama inflamatório, doença de Paget, Angiossarcoma e Tumor Filoide) e alguns têm desenvolvimento mais lento, enquanto outros crescem rapidamente. O câncer pode aparecer em qualquer parte do corpo, porém algumas áreas são mais afetadas do que outras e cada órgão, pode ser afetado por vários tipos de tumor, podendo ser mais ou menos agressivo. A maior parte dos casos, quando tratados com rapidez e de maneira adequada, possuem um prognóstico positivo.


Apesar de mais raro, o câncer de mama também pode acometer os homens, que representam mais ou menos 1% do número total de casos da doença.


O câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Cerca de 2,3 milhões de casos novos foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres. As taxas de incidência variam entre as diferentes regiões do planeta, com as maiores taxas nos países desenvolvidos.

Instituto Nacional de Câncer (INCA)


Os principais sintomas são: formação de nódulos fixos e indolores; pele da região da mama avermelhada ou com aspecto de casca de laranja, alterações no mamilo; saída espontânea de líquido do mamilo e também podem aparecer nódulos no pescoço ou região próxima ao busto, como axilas.


De acordo com o Instituto Oncoguia, o diagnóstico precoce do câncer de mama aumenta consideravelmente as chances de cura e cerca de 95% dos casos identificados em estágio inicial podem ser curados. Em razão disso a mamografia e o autoexame são de extrema importância, pois são os principais meios para rastrear a doença.


Ainda de acordo com o INCA, não há uma somente uma causa para o desenvolvimento do câncer de mama e diversos fatores estão relacionados, como envelhecimento, aspectos determinantes com relação à vida reprodutiva e hormonal da mulher, fatores genéticos, consumo de álcool, excesso de peso, baixa prática de atividade física e exposição à radiação ionizante.


O objetivo da campanha do Outubro Rosa é divulgar informações sobre o câncer de mama e reforçar as recomendações de prevenção feitas pelo Ministério da Saúde, assim como conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença.


Para mais informações acesse o site do INCA: https://www.gov.br/inca/pt-br