• Letícia Seneme

A importância do feedback para os estudos científicos

Para termos uma visão ampla sobre o impacto que os probióticos causam na vida dos consumidores finais, é necessário levar em conta o feedback dos usuários. Desta forma, é possível descobrir se as necessidades foram supridas e expectativas atendidas.



O QUE SÃO PROBIÓTICOS?

O microbioma intestinal é vital para nossa saúde, pois ajuda na produção de nutrientes e protege o organismo contra agentes patógenos.


A microbiota intestinal ou endógena é formada por microrganismos. Esses microrganismos também podem ser encontrados nas cavidades orais, pele, uretra, bexiga, placenta, pulmões e vias biliares. De maneira geral, os micróbios são relacionados com os intestinos em razão da sua maior concentração nessa área, por conta da abundância de nutrientes.


Entretanto, por ser uma área delicada, devemos tomar cuidado. Se houver o rompimento da microbiota, ela se torna um fator de risco para doenças, deixando nosso organismo fragilizado.


Além disso, há problemas comuns que podem afetar a microbiota, como: síndrome do cólon irritável, inflamação intestinal, diarreia e constipação. Esses distúrbios podem ser tão intensos e prejudiciais que podem levar a problemas que vão além do intestino, como: estresse mental, ansiedade, mal de Parkinson, doença de Alzheimer, psoríase, obesidade e até algumas alergias.


Por isso, as intervenções externas (através da ingestão de certos alimentos ou medicamentos), os probióticos, vêm ganhando cada vez mais espaço e podem ser muito benéficas, já que atuam na prevenção ou alívio das más condições, alterando ou restaurando a composição e funcionalidade da microbiota intestinal.


Os probióticos atuam na inibição do crescimento de agentes patógenos e, consequentemente, dão apoio ao sistema imunológico do hospedeiro. Eles estão disponíveis para pacientes em tratamento e consumidores que utilizam de maneira preventiva.


O FEEDBACK DA PESQUISA


O que não podemos esquecer é que todas essas informações foram obtidas através de pesquisas. Dessa forma, só puderam vir a público e ser divulgadas em consequência dos resultados obtidos.

Tendo como base esses princípios, a Wageningen Academic publicou um artigo de pesquisa sobre as interpretações dos usuários que participaram de um estudo clínico com probióticos multiespécies.


Foram realizadas 584 avaliações sobre o impacto do uso de probióticos. Tais avaliações se baseiam em três pontos: qualidade de vida, sintomas gastrointestinais e consistência das fezes após duas semanas de uso. Metade dos usuários indicaram um resultado positivo e 64% indicaram a possibilidade de continuar a usar o probiótico. De maneira geral, os resultados apontam para o potencial benéfico dos probióticos em ajudar na nossa saúde e bem-estar.

Cada vez mais estudos indicam que as espécies e cepas probióticas são seguras para o nosso consumo e podem melhorar nossos hábitos intestinais e qualidade de vida.

Entretanto, apesar dos saltos científicos dos últimos anos sobre as consequências do uso dos probióticos, as pesquisas sobre o impacto social causado por eles continuam em menor quantidade. O “como” os probióticos influenciam na vida cotidiana das pessoas também é uma etapa importante para uma pesquisa, pois de que outra maneira saberemos se os resultados foram bons para o usuário?

Portanto, uma análise sistemática das experiências do consumidor é importante para que haja uma validação externa de determinado medicamento/produto. Tais análises devem entrar com maior frequência nas pesquisas. Necessidades não supridas, benefícios pertinentes para a saúde e os principais pontos para uma implementação bem-sucedida, são pontos que devem ser observados a partir da experiência de uso.



- Fonte: Gabbia Insights (Edição 32, dezembro de 2021).