Bisglicinato de Zinco 20%

Descrição Química (CAS): Zinc glycinate (14281-83-5).

O QUE É?

O zinco é um mineral de grande importância, e sua ingestão é necessária para auxiliar as defesas do organismo e para o bom funcionamento celular. Componente de várias enzimas, o zinco participa das vias metabólicas que envolvem síntese de proteínas, metabolismo de carboidratos, lipídeos e de ácidos nucléicos. Também está envolvido nos processos do sistema imunológico, sendo conhecido por sua função antioxidante e de reparação celular. 


Os primeiros sintomas de deficiência de zinco são: perda de paladar, fraca resposta imunológica e problemas de pele. Outros sintomas são: perda de cabelo, diarreia, fadiga, demora na cura de feridas e, em crianças, taxa reduzida de crescimento e desenvolvimento mental. 


INDICAÇÕES

  • Melhora da imunidade; 

  • Disfunções do aparelho genital masculino (impotência e fertilidade); 

  • Fertilidade feminina; 

  • Gravidez e lactação; 

  • Crianças e recém-nascidos; 

  • Dietas que apresentam deficiência proteica; 

  • Desnutrição; 

  • Alcoolismo.


CONTRAINDICAÇÕES

Altas doses de Zinco podem induzir deficiência de cobre, o que prejudica a mobilização do ferro, podendo levar à anemia. A toxicidade do zinco causa diarreia, sonolência, vômito, vertigem, perda da coordenação muscular, alterações da função dos linfonodos, letargia e dor epigástrica.


PRECAUÇÕES

A absorção do zinco é diminuída pelo ácido fítico, presente nos cereais integrais. Em concentrações de 200 a 500mg o zinco tem efeito emético. Nas intoxicações agudas, provoca desidratação, desequilíbrio eletrolítico, dor de estômago, letargia, enjoos, descoordenação muscular e falência renal.


DOSAGEM RECOMENDADA

Varia de 05 a 30mg de zinco elementar ao dia, para suprir as deficiências dietéticas nas patologias em que há deficiência de zinco.

74562334454.jpg

Acesse a categoria desejada abaixo: